Rodovia Mestre - Orte - Civitavecchia

Rodovia Mestre - Orte - Civitavecchia



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

NOTÍCIAS DO MUNDO DO MEIO AMBIENTE

Por que outra rodovia em nossos Apeninos?

por Antonella di Matteo, 3 de janeiro de 2011


Nota 1

A lei italiana Obiettivo, com recurso a financiamento de Project Financing, incluiu nos seus planos a construção da auto-estrada Mestre-Orte-Civitavecchia. É uma obra nociva para os Apeninos, para a sua biodiversidade e para a protecção paisagística-ambiental de todo o sistema. O custo estimado é de cerca de 10 bilhões de euros (1,4 bilhão de financiamento público e 8,6 bilhões dos proponentes; a GEFIP Holding de Vito Bonsignore). O trecho entre Orte e Cesena quase certamente insistirá na atual autoestrada E45 com grandes variações na correspondência com Perugia, Deruta, Pieve S. Stefano, Verghereto, Bagno di Romagna, enquanto uma nova rodovia paralela à SS 309 está planejada para Ravenna - Seção Mestre Romea, com enxerto direto no desvio Mestre. O trecho Civitavecchia-Orte faz parte de outro projeto em estudo pela CIPE. Até 2010, todos os procedimentos para a aprovação do projeto final e para a atribuição do concurso devem estar identificados. Há anos os vários comitês anti Autostrada Romea lutam pela segurança da própria rodovia estadual 309 ... Mas obviamente outra coisa já estava fervendo na panela!


Nota 1

Por que quebrar todos os equilíbrios geológico, hídrico-ambiental, biológico e climático quando bastaria aproveitar as estradas existentes e melhoradas, onde é necessário através de obras de renovação, manutenção e manutenção?

Por que criar sempre riscos contínuos e livres para as comunidades de desastres naturais devido inexoravelmente ao consumo de solo, sobre construção e consequente impermeabilização?

Por que nunca agir na lógica da prevenção em vez da cega e negligência da destruição total do tipo "ghe Pensi mì"?

Por que prevalecer e abusar cruelmente, “ignorando-os”, da beleza e importância de tantas áreas de interesse histórico e ambiental-ambiental (parque Delta del Po ', vales Comacchio e Mezzano, lagoa sul, Riviera del Brenta)?

Por que incentivar fortemente o transporte rodoviário em detrimento do transporte ferroviário e marítimo?

Porque é que neste belo país mas com poucos terrenos disponíveis é sempre necessário realizar obras e infra-estruturas desnecessárias “e sobretudo prejudiciais a todo o ecossistema de um território”, mesmo tendo em conta os modestos fluxos de tráfego actuais e futuros na área?


Vídeo: Trasversale Orte-Civitavecchia: in completamento i lavori del tratto Monte romano Est-Cinelli