Cristina Boccadoro - Artista - Seu currículo

Cristina Boccadoro - Artista - Seu currículo



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Cristina Boccadoro, currículo

Local e data de nascimento: Roma, 11 de outubro de 1971.

ÚLTIMAS EXPOSIÇÕES

15-30 de setembro de 2001 UNIVERSIDADE DE ROMA "LA SAPIENZA"
Departamento de Biologia Vegetal BOTÂNICO JARDIM Roma
3ª Edição da Exposição Coletiva de Pintura "La Passiflora: paixão e conhecimento"

3-24 de fevereiro de 2007 Centro Comercial “I Granai” em Roma
Pessoal: "Sujeitos de culto
Colagens digitais

15 de dezembro de 2007 - 6 de janeiro de 2008 Centro Comercial “I Granai” em Roma
Pessoal: "Fábulas de papel
Colagens digitais

15 a 22 de fevereiro de 2008 I Câmara Municipal - Roma Pátio do Palazzo "Medici Clarelli"
Pessoal: "Resíduos de… fábulas de papel
Montagens, instalações e colagens digitais

15 de junho de 2008 Casa del Parco da Reserva Natural Valle dei Casali, Roma
Pessoal: "Incrustações"
Montagens, instalações e colagens digitais

INSTRUÇÃO

1984–1990 Instituto “A. Celli ”Roma
- Diploma de Especialista em Negócios e correspondente em línguas estrangeiras

1990–1994 Instituto Europeu de Design Roma
- Graduado em Moda e Design.

Se você é um artista e deseja publicar seus trabalhos neste site, escreva para o endereço [email protected]


Narciso e Boccadoro

«Não é nossa tarefa nos aproximarmos, assim como o sol e a lua não se aproximam, ou o mar e a terra. Nós dois, caro amigo, somos o sol e a lua, somos o mar e a terra. Nosso objetivo não é transformar um no outro, mas nos conhecer e aprender a ver e respeitar no outro o que ele é: nosso oposto e nosso complemento.»

«Mas como você quer morrer um dia, Narcissus, se você não tem mãe?»

Narciso e Boccadoro (Narziß und Goldmund, 1930) é um romance do conhecido escritor alemão Hermann Hesse.


Existem vários tipos de currículos: desde os clássicos até a versão Europass, a partir de aqueles em ingles para aqueles escritos por aqueles que não têm sem experiência trabalhando atrás. O Currículo artístico no entanto, é um caso separado, que também deve refletir o lado criativo e expressivo de seu autor.

Então aqui estão alguns modelos, dicas e ideias a seguir para criar o currículo artístico perfeito.

Particularidades do currículo artístico

O currículo de arte deve ser uma visão geral de sua história de carreira e realizações. Embora seja semelhante ao currículo de qualquer profissional, existem alguns elementos peculiares que caracterizam o currículo de um artista, tornando-se uma tipologia separada.

Um erro freqüentemente cometido por artistas é incluir muitos detalhes. Seu currículo deve ser limpo e bem organizado e incluir informações exclusivamente relacionadas ao seu carreira artística.

O que inserir e o que deixar de fora, portanto, em um currículo artístico? Aqui estão 10 dicas sobre como escrevê-lo:

Os 10 pontos de um currículo artístico

1) Dados pessoais

Você pode minimizá-los: indique data é país de nascimento e adicionar contatos pessoais, como número ou o email para ser contatado. Adicione um link para o seu site apenas se estiver diretamente relacionado à sua atividade artística. Se você é ator / atriz ou modelo, também pode indicar seu tamanho, peso e altura.

2) Educação e treinamento

Esta seção deve ser preenchida com dados relativos aos seus treinamento artístico. Se você frequentou um colégio artístico, uma academia de belas artes ou se você tem qualquer outra qualificação educacional ligado ao mundo das artes visuais, insira-o. Também pode ser um curso ou um workshop. Inclui o nome da instituição frequentada, o ano da formatura e o título concedido.

Ex. Brera Academy (2015) - Diploma acadêmico de primeiro nível em pintura

Se não, se você é um autodidata ou um artista que seguiu cursos de estudos não inerentes às artes visuais, você pode excluir esta seção do seu currículo.

Se você está se apresentando para propor seus trabalhos para uma exposição, esta seção não é um pré-requisito fundamental.

Use esses modelos para criar um currículo único e personalizado

3) Exposições e experiência de trabalho

A experiência profissional deve ser sempre indicada pela ordem do mais recente ao mais antigo. O mesmo se aplica a quaisquer exposições ou espetáculos a que tenha assistido. Inclui o ano, o título da exposição ou performance, o museu / galeria / espaço de arte ou teatro e a cidade.

Título 2016, espaço artístico Monet, Milão

2015 Título, Galeria (E) ART (H), Bolonha

Se você já participou de várias exposições também pode dividi-las em categorias, por exemplo "exposições individuais" ou "exposições de grupo". Isso serve para definir melhor quanta visibilidade eles tiveram seus trabalhos no contexto da exposição (se você tinha toda a galeria para você certamente não quer que eles pensem que sua contribuição foi uma ou duas obras, certo?)

Se já fez várias exposições e está convencido de que algumas já não reflectem o seu estilo ou não são fundamentais para a sua carreira artística, pode intitular a secção "exposições selecionadas“.

4) Bibliografia

Nesta seção do currículo de arte, você deve incluir artigos que mencionem você e suas obras. Os artigos devem incluir autor, título, revista ou site de publicação, data de publicação e página (se for uma revista impressa).

Ex. Marco Brogi, “Street art”, título da revista, vol. x, fevereiro de 2016, p. 24-26

Se o seu trabalho aparece na capa de uma publicação, basta indicar, por exemplo:

Título da revista, Capa, vol. x, fevereiro de 2016

Se seus trabalhos aparecem em livro, será necessário citar a fonte bibliográfica incluindo a editora e a cidade.

Use esses modelos para criar um currículo único e personalizado

5) Coleções

Caso existam instituição pública está de posse de suas obras, você pode inseri-las nesta seção. Podem ser museus, galerias, coleções corporativas, agências ... É o caso, por exemplo, das obras que vencem um concurso e ficam expostas no espaço onde o concurso foi realizado.

Se suas obras são apenas parte de coleções particulares, melhor citá-los indiretamente, por exemplo, escrevendo

6) Publicações

Se você tem artigos ou textos publicados relacionados ao seu trabalho artístico ou de outros artistas (como resenhas ou comentários), você pode inseri-los indicando título, revista ou site de publicação, editora, ano.

Ex. "Os rostos de Leonardo ", Revista de arte, Art Editions, 2016

Pontos adicionais do currículo artístico

Os pontos indicados até agora são i Mais comum e mais importante na preparação de um currículo artístico. No entanto, dependendo do seu trabalho e experiências, pode haver outros pontos importantes para ser incluído no CV.

7) Ensino

Se você já segurou aulas ou você ensinou em cursos relacionado às artes visuais, você pode inserir sua experiência profissional na área de ensino.

Exemplo: 2012-2014: professor de pintura na Associação Vivarte

8) Projetos selecionados

Se além de expor suas obras você também tem curadoria de exposições, você pode indicá-los fornecendo o ano, o título da exposição / exposição e o local que a acolheu. Você também pode adicionar uma breve descrição da exposição e do seu trabalho.


9) Prêmios e reconhecimentos

O único requisito para entrar nesta seção é que seja prêmios intimamente relacionados ao seu trabalho artístico (e não, por exemplo, ter ganho uma bolsa ...). Se você ganhou concursos ou competições, aqui você pode indicar quais.

10) Residências de arte

O residências artísticas Talvez você tenha participado são bons pontos para incluir em seu currículo, pois mostram dedicação à sua prática e ao desenvolvimento profissional.

Modelos para um currículo artístico

Existem muitos modelos, ou modelos, de currículos artísticos que podem ser baixados gratuitamente online, desde os mais criativos e coloridos até os mais formais e profissionais.

Abaixo, indicamos alguns diretórios onde você pode encontrar muitos desses modelos, tanto em formato de palavra (.doc) e em Formato PDF:

Use esses modelos para criar um currículo único e personalizado

Estrategista Digital e Gerente de Marketing da Scambieuropei com grande paixão por música, cinema, viagens e Podcasts.


CRISTINA D’AVENA / A cantora e seu maior desejo (Wind Summer Festival, 4 de julho de 2017)

Cristina D'Avena, em entrevista à Intimacy, conta um pouco sobre sua vida privada. Sobre o desejo de ser mãe: “No início o trabalho era quase um jogo, mas quando se tornou uma verdadeira profissão, algo que tive que deixar para trás. O estudo, claro, mas também a possibilidade de começar uma família em breve. Mas se quando menina dizia a mim mesma 'Assim que ficar mais velha me caso e tenho filhos', quando adulta continuava a sonhar com uma família e filhos, repetindo para mim mesma 'Há tempo'. E foi precisamente esse 'Há tempo' que me enganou. Porque hoje tenho 52 anos e ainda não fui mãe. E agora esse tempo está se esgotando, eu percebo isso. Ou o milagre de Sant'Antonio vem até mim ou ... não sei ". A cantora, portanto, não esconde seu desejo de ser mãe.

É amada por jovens e velhos e além de ter conquistado as últimas gerações graças aos desenhos animados, hoje é uma das protagonistas mais amadas e seguidas nas redes sociais. Estamos a falar de Cristina D’Avena, que esta noite irá deliciar os seus inúmeros fãs ao encenar algumas das suas canções mais famosas no palco do Wind Summer Festival 2017. Para marcar um encontro com todos os seus seguidores foi a própria cantora, que há algumas horas voltou ao seu perfil oficial do Instagram, de onde compartilhou uma foto diretamente dos bastidores do programa musical Canale 5. "Esta noite no Canale 5 haverá o # WindSummerFestival… Pronto para soltar juntos. ", Escreve o artista na legenda e, claro, seus inúmeros fãs não perderam a oportunidade de responder. Se você está curioso para ver a última foto compartilhada por Cristina D'Avena nas redes sociais e ler todos os comentários dos fãs, você pode Clique aqui. (Atualização por Fabiola Iuliano)

Esta noite, terça-feira, 4 de julho, irá transmitir o Festival Wind Summer 2017, no Canale5 apresentado por Alessia Marcuzzi, Tal como nos últimos anos, 2017 também oferece ao público o festival de música de verão 2017, com inúmeros e imperdíveis êxitos da cena musical nacional e internacional. Existem inúmeros artistas que se apresentaram no palco da Piazza del Popolo em Roma: incluindo Cristina D'Avena a rainha das canções-tema dos desenhos animados dos anos 90.

Nascida em Bolonha em 1964, a artista também tem em seu currículo experiências como atriz e apresentadora de TV. Sua primeira estreia remonta aos três anos de idade, quando graças ao single Il walzer del moscerino conquistou o terceiro lugar no Zecchino D’oro. Posteriormente, a cantora fará parte do Piccolo Coro dell’Antoniano, acompanhando também sua irmã Clarissa Maria nesta aventura. Só em 1981 é que provavelmente gravou as primeiras iniciais para desenhos animados, gravadas as iniciais de Pinóquio por encomenda de Giordano Bruno Martelli. Além disso, a carreira de Cristina D'Avena está particularmente ligada ao Bim Bum Bam, famoso programa infantil que foi ao ar até 2002. Como atriz, estreou-se na live action do anime japonês Kiss Me Licia, intitulado Love me Licia, que mais três temporadas se seguiram. Cristina D'Avena interpreta a protagonista, ao lado de Pasquale Finicelli no papel de Mirko e Emanuela Pacotto, que interpreta Marika. Em 1992 dirige Cantiamo con Cristina, um programa de karaokê infantil muito apreciado por adultos e crianças.

A mulher, após várias entrevistas, aos 52 anos lamenta não ter dedicado a sua vida à criação de uma família própria. Os vários compromissos relacionados com a sua carreira de cantora, atriz e apresentadora não lhe permitiram viver uma experiência importante como a da maternidade. No entanto, parece que nos projetos da artista há um casamento à vista. Compromisso hoje à noite, 4 de julho de 2017 em Canale5 às 21h10, não perca!


Índice

Narciso é um jovem monge diligente e contemplativo, amante da língua grega e das ciências. Ele é espiritual e totalmente dedicado à religião. Apesar da pouca idade, já ocupa o cargo de assistente de grego na escola do mosteiro, onde um dia chega um novo aluno, Boccadoro.

Boccadoro é uma artista, com grande sentido de emoções amorosas e sentimentais, que consegue conquistar o coração de todas as mulheres com um só olhar. Ele tem o espírito de um andarilho, herdado de sua mãe, a quem tenta encontrar, e durante sua jornada enfrenta várias aventuras.

O asceta Narciso estava destinado a uma brilhante carreira religiosa. No início, ele aparece como um jovem mestre no convento de Mariabronn (Maulbronn), temido e muito estimado até mesmo por seus superiores por causa de seu conhecimento. Ele também tinha a capacidade de ler a alma das pessoas com uma precisão extraordinária. A aplicação mais sensacional deste dote investiu violentamente Boccadoro, um jovem e talentoso estudante enviado ao mosteiro por seu pai árido a fim de expiar a alma pecaminosa congênita herdada de sua mãe. A mãe era uma figura confusa para Boccadoro, principalmente delineada pelas histórias de seu pai. Narciso, percebendo essa lacuna no coração do amigo, relembra suas memórias e lhe revela uma profunda convicção de que ele nunca poderia se tornar um erudito ou um homem religioso porque isso não correspondia à sua natureza. O jovem Boccadoro, fortemente abalado com as palavras do amigo, encontra uma mulher chamada Lisa, despede-se e sai do mosteiro. A vida empreendida de um vagabundo ensina o jovem a amar, a sofrer, a alegrar-se, a buscar: em poucas palavras ensina-o a viver.

Após alguns anos de pesquisas desesperadas, Boccadoro descobre sua natureza de artista, tão brilhantemente intuída por seu amigo Narciso. Torna-se aluno do célebre mestre Nicola para poder retratar as imagens criadas nele pela experiência sensível do mundo. Tendo aprendido a arte e obtido prematuramente o grau de mestre (graças à realização de seu apóstolo Giovanni, à imagem de seu amigo Narciso), ele recusa a herança da oficina do mestre Nicola e da mão de sua bela filha Elisabetta.

Boccadoro assim retoma sua vida errante. Durante sua peregrinação Boccadoro conhece os horrores do mundo, mas também sabe que o amor ama muitas mulheres, mas apenas algumas delas permanecerão para sempre em seu coração: a cigana Lisa, Lidia, filha do cavaleiro que o hospedou em troca da seu latim, Giulia, sua irmã, Lena, a garota que morreu de peste que o amava mais sinceramente do que qualquer outra mulher, Agnes, a bela e gelada amante do conde. Mas apenas uma figura o acompanhou ao longo de toda a sua existência desde o momento da despedida do mosteiro: a Eva-Mãe, imagem vaga, borrada, eternamente mutável, que afinal acabou por ser a imagem da sua mãe. Ao longo de sua vida, Boccadoro buscou essa imagem. Ele a encontrou apenas na velhice durante sua última peregrinação, na qual ele partiu seu coração pela falta de amor de Agnese e quebrou algumas costelas caindo de seu cavalo.

Ao longo de sua vida, o sonho de Boccadoro era apreender claramente a imagem da Mãe Eterna e representá-la, mas uma vez conseguido, o prazer derivado da paz interior que se seguiu fez com que o desejo de Boccadoro de representá-la diminuísse. Agora ele pode morrer em paz, pois encontrou sua mãe e descobriu o amor, porque sem mãe não se pode amar.

Narciso é o motor de todo o caso. Ele se apresenta como um menino extraordinariamente talentoso, a quem até seus superiores temem. Ele é um colosso, é o verdadeiro detentor do poder no mosteiro. Ele controla e governa tudo e todos com suas incríveis habilidades. Algumas das medidas que o Abade Daniel toma em relação ao jovem para lembrá-lo de sua posição no mosteiro e o respeito pela hierarquia acabam sendo fúteis.

No final da história, ele é o abade do mosteiro. Mas justamente quando seu potencial finalmente explodiu encontrando realização na figura do abade (o abade João, surpreendentemente profetizado pela estátua do apóstolo João de Boccadoro), ele deixa toda sua humanidade e com ela suas incertezas e suas fraquezas. Ele é uma vítima da filosofia, da qual se sentia o mestre absoluto, e da verdade. Graças a Boccadoro ele percebe que a busca da verdade por meio do controle total do espírito não é o único caminho, nem necessariamente mais eficaz do que o caminho dos sentidos.

Boccadoro é o meio utilizado pelo autor para expressar o conflito entre espiritualidade e mundanismo, entre eros e logos. O único traço de seu caráter que emerge com clareza enérgica é sua incerteza psicológica que o leva a levar continuamente uma vida de errante.

Todos os outros personagens são um simples condimento para a história, sem os quais nada faria sentido e tudo ficaria sem gosto. É um elemento indispensável, mas que não contém em si a substância da história.

A moralidade está bem descrita nos dois últimos capítulos, nos quais Hermann Hesse pode explicar (com a boca de Narciso) sua filosofia após ter acabado de contar os fatos.

O contraste entre natureza e espírito, fulcro do romance, consiste no caminho para a busca da verdade. Tanto Narciso, que representa o espírito, quanto Boccadoro, que representa a natureza, sentem-se insatisfeitos com suas pesquisas porque usam apenas o espírito ou apenas os sentidos como meio, o que se mostra insuficiente. De facto, Boccadoro perde a espiritualidade e a fé em Deus, enquanto Narciso, abade, perde a capacidade de conhecer com os sentidos mas afinal ambos encontram a paz porque aprendem a viver segundo a sua natureza e nela encontram a plena realização. Narciso com o espírito e Boccadoro com os sentidos explicam o mundo em sua essência: é o que Hermann Hesse entende por "verdade". Também é fácil encontrar nesta obra a influência de Nietzsche em Hesse do "Nascimento da Tragédia" - com seu contraste de "Apolíneo e Dionisíaco", racionalidade e instinto. Além disso, o autor mostra uma grande familiaridade com a teoria dos "arquétipos" do inconsciente coletivo de Jung, com quem manteve correspondência, e de um aluno de quem foi paciente - em particular aqueles relacionados com Anima e Animus, respectivamente o inconsciente masculino e feminino).

  • Hermann Hesse, Narciso e Boccadoro, tradução de Cristina Baseggio, Medusa, Mondadori, 1933, pp. 320
  • Hermann Hesse, Narciso e Boccadoro, traduzido por Cristina Baseggio, Oscar, Mondadori, 1978, pp. 432, ISBN978-88-04-49267-2.
  • Hermann Hesse, Outros romances e poemas, tradução de Cristina Baseggio, editado por Ferruccio Masini, I Meridiani, Mondadori, 1981, ISBN978-88-04-20324-7.

Em 2020, foi transformado em filme por Stefan Ruzowitzky, estrelado por Jannis Niewöhner e Sabin Tambrea.


Milena Boccadoro

QUEM
Milena Boccadoro
ele é jornalista profissional desde 1988, agora chefe da equipe editorial da TGR Rai Piemonte.

Ela se juntou à Rai com uma bolsa de estudos para jornalistas, antes de ingressar na redação de Torino ela trabalhou para a Rai em Gênova e em Milão para as transmissões TG1 de Enzo Biagi.

Meio ambiente, questões sociais e cultura são os temas que ele adora explorar.

Use as palavras certas, declinou com respeito a gêneros e pessoas, são sua obsessão.

Com a associação Se não agora, quando? - Torino também lançou a campanha “Mulheres com A” pelo uso correto da mulher também no jornalismo.

Ela tem um filho de 23 anos, Pietro. Gosta de ler e viajar. Ele sempre usou sua bicicleta para se locomover pela cidade, ele odeia garrafas de plástico.

O QUE
Milena Boccadoro fará as honras nesta edição do TEDxTorinoMulheres como apresentador.

POR QUÊ
Jornalista de grande experiência, atenta às questões sociais e de gênero, Milena é a pessoa certa para liderar um evento como o do sábado, 14 de dezembro.

QUANDO
Sábado 14 de dezembro a TEDxTorinoMulheres: o evento anual dedicado à voz e às ideias - e muito mais - das mulheres que fazem mudanças.


Vídeo: Te quiero así - Manuel José y Ana Victoria